Não é 1, nem 2, nem 3, então, o que é Indústria 4.0?

10 Feb

Blog

Não é 1, nem 2, nem 3, então, o que é Indústria 4.0?

William Franco  Ι  

Primeiro veio o vapor e as primeiras máquinas que mecanizaram parte do trabalho que nossos ancestrais fizeram. Em seguida, a eletricidade, a linha de montagem e o nascimento da produção em massa. A terceira era da indústria surgiu com a introdução dos computadores e o início da automação, quando robôs e máquinas começaram a substituir trabalhadores humanos nessas linhas de montagem.

E agora entramos na Indústria 4.0, na qual os computadores e a automação se unirão de uma maneira totalmente nova, com a robótica conectada remotamente a sistemas de computador equipados com algoritmos de aprendizado de máquina que podem aprender e controlar a produção com muita pouca participação de operadores humanos.

A Indústria 4.0 introduz o que tem sido chamado de “fábrica inteligente”, em que sistemas ciberfísicos monitoram os processos físicos da fábrica e tomam decisões descentralizadas. Os sistemas físicos com Internet das Coisas, comunicam e cooperam uns com os outros e com os humanos em tempo real através da redes de comunicação.

Então o que podemos falar sobre a Indústria 4.0?

O termo Indústria 4.0 foi introduzido pela primeira vez publicamente em 2011 por um grupo de representantes de diferentes áreas (como negócios, política e academia) sob uma iniciativa para melhorar a competitividade alemã na indústria de manufatura.

O governo federal alemão adotou a ideia em sua Estratégia de Alta Tecnologia para 2020. Posteriormente, foi formado um Grupo de Trabalho para assessorar ainda mais a implementação da Indústria 4.0.

A História atrás da Indústria 4.0

Se estamos falando da Indústria 4.0, ou Quarta Revolução Industrial, significa que na história temos outras três, então vamos dar uma olhada em seus antecessores para nos dar uma perspectiva de como essa revolução em particular é diferente.

A Primeira Revolução Industrial

A revolução industrial na Grã-Bretanha chegou para introduzir as máquinas na produção até o final do século XVIII (1760-1840). Isso incluiu desde a produção manual até o uso de motores a vapor e água como fonte de energia.

Isso ajudou muito a agricultura e o termo “fábrica” tornou-se um pouco popular. Uma das indústrias que se beneficiou muito com essas mudanças é a indústria têxtil, e foi a primeira a adotar a mecanização em seus processos.

 

A Segunda Revolução Industrial

A segunda revolução industrial data entre 1870 e 1914 (embora algumas de suas características datam de 1850) e introduziu sistemas pré-existentes como telégrafos e ferrovias nas indústrias. Talvez a característica definidora desse período tenha sido a introdução da produção em massa como um meio primário para a produção em geral.

A eletrificação de fábricas contribuiu enormemente para as taxas de produção. A produção em massa de aço ajudou a introduzir ferrovias no sistema, o que consequentemente contribuiu para maiores produções.

Inovações em química, também marcam esse período, já que a química estava em um estado bastante primitivo. No entanto, esses avanços foram colocados ao fim com o início da Primeira Guerra Mundial.

 

A Terceira Revolução Industrial

Talvez a terceira seja muito mais familiar para nós do que as outras, já que a maioria das pessoas que vivem hoje está familiarizada com as indústrias apoiadas em tecnologias digitais na produção.

A terceira revolução industrial é iniciada por volta dos anos 50. É muitas vezes referida como a Revolução Digital, e surgiu a mudança de sistemas analógicos e mecânicos para sistemas digitais.

Outros chamam a Era da Informação. A terceira revolução foi, e ainda é, um resultado direto do enorme desenvolvimento em computadores, tecnologia de informação e comunicação.

 

A Quarta Revolução Industrial

A quarta revolução industrial leva a automação dos processos de fabricação a um novo nível, introduzindo tecnologias de produção em massa customizadas e flexíveis.

Isso significa que as máquinas operarão de forma independente ou cooperarão com os seres humanos na criação de um campo de produção orientado para o cliente que trabalhe constantemente para se manter.

A máquina torna-se uma entidade independente que é capaz de coletar dados, analisá-los e se ajustar conforme as necessidades. Isso se torna possível introduzindo auto otimização, auto cognição e auto customização na indústria.

Quais os benefícios da Indústria 4.0?

Apesar do termo Indústria 4.0 ser originalmente criado apenas para fabricação, atualmente a aplicação já vai além das indústrias. Os benefícios da indústria 4.0 podem ser encontrados em transportes inteligentes, construções inteligentes e até cidades inteligentes.

O objetivo essencial da indústria 4.0 é tornar não apenas as fábricas, mas todo o ecossistema industrial (como logística) mais rápido, autônomo, eficiente e centrado no cliente. Ao mesmo tempo, indo além com automação e encontrando novas oportunidades e modelos de negócios. Separei aqui pelo menos quatro benefícios da indústria 4.0, são: 

1 – Aumento da produtividade através da otimização e automação

Em outras palavras: economia de custos, aumento de lucratividade, redução de desperdícios, automatização para evitar erros e atrasos, aceleração da produção para trabalhar mais em tempo real e em função da cadeia de valor global.

Para esse aumento de produtividade o uso de internet das coisas (IoT) pela indústria será fundamental. A Indústria 4.0 oferece várias soluções para otimizar, desde a utilização eficiente de ativos e processos de produção, até uma melhor logística e gerenciamento de estoque. 

IoT movimentará cerca de R$ 200 bilhões por ano em 2025.

 

2 – Dados em tempo real para uma cadeia de suprimentos em tempo real em uma economia em tempo real

Muitos dos benefícios de melhoria de produtividade estão relacionados às metas de otimização de custos e processos. No entanto, há vários benefícios que também se encaixam em uma perspectiva de maior foco no cliente.

Com as fábricas conectadas com todos os sistemas e aos clientes, a informação certa dará a visibilidade necessária para tomada de decisões assertivas. Podemos dizer que todos poderão ter acesso a confecção do produto: operação, gestão de fábrica, fornecedores, distribuidores e transportadores terão as informações relacionadas ao ciclo de produção, e para melhorar, na Indústria 4.0, o cliente estará conectado recebendo em tempo real a mesma informação!

E não termina por aí, enquanto toda a cadeia do produto fornece dados ao clientes e à todos os interessados, os clientes retroalimentam toda a cadeia de produto com dados de consumo, preferências, reclamações, sugestões que serão utilizados para melhoria contínua e customização do produto.

3 – Maior continuidade dos negócios através de manutenção avançada e possibilidades de monitoramento

Quando um ativo industrial importante quebra, toda a produção é afetada, custando muito dinheiro. É o pior pesadelo de todos, já que o compromisso de entrega é uma preocupação extremamente alta. Além de todo o trabalho de substituição/conserto, recursos e custos, a reputação pode ser prejudicada, os pedidos podem ser cancelados e a cada hora que passa o dinheiro é jogado fora.

Se os ativos industriais estão conectados e podem ser monitorados através da Internet das Coisas os problemas são resolvidos antes que eles aconteçam, os benefícios são enormes. Os alertas podem ser configurados, os ativos podem ser mantidos de forma preditiva, o monitoramento e o diagnóstico em tempo real tornam-se possíveis.

Aqui ainda cabe a aplicação de outras tecnologias disruptivas como: Impressão 3D, Realidade Aumentada, Machine Learning que melhorarão os processos de manutenção.

4 – Personalização para o “novo” consumidor

Todos nós sabemos que o comportamento e as preferência do consumidor atual mudou. Ao mesmo tempo, ferramentas digitais transformaram a forma como trabalhamos, compramos e vivemos. As pessoas também se tornaram mais exigentes com relação à respostas rápidas.

A personalização e customização é cada vez mais requerida! Cada vez mais, os consumidores têm (e querem) possibilidades de ter uma interação direta com a marca de seu produto predileto. Com isso exige-se plataformas digitais para personalização de produtos, personalização de serviços e possibilidades de co-criar.

Se você quiser oferecer esses diferenciais em escala e até mesmo transformá-los em uma vantagem competitiva, a automação utilizando várias tecnologias na Indústria 4.0 tornam-se uma necessidade.

 

Esteja preparado!

Enfim, tem muita coisa boa e muita oportunidade nessa Quarta Revolução Industrial, então esteja preparado! Não deixe passar! As mesmas oportunidades ocorreram nas Revoluções Industriais anteriores, e aqueles que estavam preparados usufruíram dos benefícios que cada uma delas proporcionou.

Se você gostou desse artigo, compartilhe! Dê o seu comentário, me fala, você enxerga algum outro benefício da Indústria 4.0?

Terei muito prazer em falar com você! Me siga nas redes sociais ou me envie uma mensagem por Whatsaap!           (11) 99302-6542

e-mail: contato@williamfranco.com.br

Contato

© William Franco. Todos os direitos reservados – 2019

Categorias

E-book grátis

Que tal fazer parte do
nosso grupo no Telegram?

Clique para entrar
Abrir WhatsApp
Precisa de ajuda?
Olá! Tudo bom? Que tal falarmos pelo WhatsApp? Vai ser um prazer te ajudar ;)